Return to site

O que é uma Cidade Inteligente

Saiba o que fazem de diferente as tais "smart cities" e porque elas podem ser um modelo para o futuro

· Smart city,Cidade Inteligente,Espaço Público

As cidades inteligentes são as chamadas cidades do futuro, pois englobam um conceito novo de se pensar a ascensão urbana. Mas quais são os principais fatores que determinam uma Smart City e o que as tornam tão sedutoras para o futuro que queremos?

Smart Cities

As cidades atuais se deparam com diversos desafios no que se refere a seu desenvolvimento. Uma delas é a de integração entre os diversos fatores que as constroem. Nesse contexto de diversas transformações, mudanças econômicas e crescente globalização questões como qualidade urbana, habitação, economia, cultura e condições sociais e ambientais acabam ficando a mercê das estratégias governamentais.

As cidades inteligentes, ou smart cities são as cidades que incorporam ferramentas de Tecnologia da Informação e Comunicação para auxiliar os processos de planejamento urbano e integrar os cidadãos às questões decisivas.

Isso as tornam cidades mais eficientes, automatizadas, sustentáveis e, consequentemente agradáveis para se viver. É um modo de incorporar as questões importantes para criar uma cidade dinâmica e estrategicamente planejada.

Áreas chave

Normalmente as cidades inteligentes elencam áreas chave de desenvolvimento para aplicar as ferramentas tecnológicas e combinam seus diversos fatores para gerar os resultados.

As áreas prioritárias se desmembram em diversos aspectos importantes no que se refere à construção de cidades com maior qualidade de vida. Uma Universidade de Viena na Áustria desenvolveu um Modelo Europeu de Cidade Inteligente. Ele pode servir como um incentivo para avaliarmos o quanto nossas cidades se enquadram nos aspectos descritos.

O modelo em questão prioriza 6 áreas chave, indicando quais características devem ser incorporadas na tentativa de se criar uma cidade mais inteligente. Entre eles estão:

1. Economia

Os aspectos econômicos abrangem questões como: espírito inovador, empreendedorismo, imagem da cidade, produtividade,mercado de trabalho e integração internacional. Esses são os fatores que mais influenciam positivamente as questões econômicas

2.Mobilidade

As questões de mobilidade permeiam a maioria das discussões sobre a qualidade futura das cidades. Essa dimensão incorpora aspectos como: sistemas de transporte local, Infra-estrutura de tecnologia de informação e comunicação e sustentabilidade do sistema de transportes.

3.Pessoas

Essa talvez seja uma das características mais fundamentais para a criação de cidades mais inteligentes. A dimensão procura indicar fatores como educação, aprendizagem ao longo da vida, pluralidade étnica e mente aberta dentro dos contextos sociais das cidades para inferir seu nível de inovação.

4.Governança

Outro pilar importante na concepção das smart cities. A governança pode levar em consideração tanto os aspectos de governo quanto de administração pública considerando: consciência política, serviços públicos e sociais, administração eficiente e transparente.

5.Meio Ambiente

Uma dimensão fundamental quando pensamos que as cidades além de serem inteligentes devem ser sustentáveis. Fatores como qualidade do ar,consciência ecológica, sistema de gestão sustentável de recursos devem fazer parte na priorização desenvolvimentista da urbe.

6.Qualidade de vida

Os aspectos abordados nessa dimensão se relacionam às questões relacionadas ao bem estar social que a cidade gera e induz. São elas: instalações culturais e de lazer, condições de saúde, segurança individual, qualidade de habitação, instalações educativas, atratividade turística e coesão social.

A incorporação das áreas chave

Conseguir inferir se esses aspectos estão interligados pode ser um aspecto dificultado. Por isso o uso das tecnologias é tão importante no conceito de cidades inteligentes. O mais importante é que além de conseguir mensurar todas as variáveis, elas devem conseguir interpreta-los da melhor forma para atuar de acordo com elas.

Em outras palavras, como definido pela União Européia, as smart cities devem investir em sistemas de pessoas interagindo com fluxos de energia, serviços e materiais para determinar o melhor caminho a ser traçado. Seu desenvolvimento deve ser pensado na qualidade de vida e nas necessidades sociais e econômicas do local.

Cidades do futuro

Esse novo modelo pautado no uso de tecnologias para se pensar na qualidade de planejamento e adensamento urbano pode ser fundamental para o futuro de algumas cidades. O investimento tecnológico deve vir acompanhado de boas práticas e deve ser usado com planejamento para cada tipo de identidade urbana.

Esses conceitos podem trazer benefícios no que se refere:

  • à participação social: ao aproximar os agentes sociais à instituições governamentais e privada
  • ao auxiliar a mensuração dos fatores imprescindíveis para um desenvolvimento efetivamente sustentável, e em muitos outros aspectos.

Em um mundo cada vez mais influenciado pelo uso das Tecnologias de Informação e Comunicação é natural pensar que o futuro das cidades pode estar atrelado a conexão desses sistemas tecnológicos aos tradicionais para criar as cidades do futuro. 

O que você acha desse modelo? Deixe seu comentário:

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly